Sobre o FIMUV - CiRAC
16387
page-template-default,page,page-id-16387,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge | shared by vestathemes.com,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Sobre o FIMUV

O Festival Internacional de Música de Brandão (FIMUV) é um projeto cultural do CiRAC –Paços de Brandão, uma associação cultural, de âmbito juvenil, que desde 1977, de forma ininterrupta, tem vindo a realizar este Festival. Em 2017 o FIMUV comemorou a sua 40.ª edição com a obtenção da certificação europeia – EFFE Label 2017/2018 – atribuída pela EFA, European Festival Associations.

Este ano realiza-se a 41.ª edição do FIMUV, que o categoriza como um dos mais antigos festivais de música clássica do país.

Pela direção artística deste Festival já passaram grandes nomes do panorama musical nacional e internacional, tais como o maestro António Victorino de Almeida e o músico/instrumentista Carlos Piçarra Alves (clarinetista e membro do júri da DGArtes/Ministério da Cultura). Cada diretores artístico teve um papel relevante e diferenciador para, através da programação cultural, trazer mais dimensão e notoriedade a este projeto cultural.

Em 2012, a Direção do CiRAC –Paços de Brandão convidou o músico/instrumentista e professor universitário Augusto Trindade (violino), cujo percurso profissional e carreira artística vieram potenciar a dinâmica deste Festival no território cultural de Santa Maria da Feira e da Grande Área Metropolitana do Porto. Com esta escolha consolidaram-se sinergias com outras instituições locais, nacionais e internacionais, ligadas à Música, que vieram sobrevalorizar este projeto. Será por isso de destacar as atuais parecerias colaborativas estabelecidas com: a Academia de Música de Paços de Brandão, a Escola Superior de Artes do Instituto Politécnico de Castelo Branco, bem como com outros Festivais de Música e agentes culturais, nomeadamente no que concerne à diversificação da programação e à organização de projetos musicais conjuntos.

A matriz do FIMUV assenta essencialmente na dinamização, descentralização e promoção da atividade cultural, através da Música, num território geográfico que se estende da Grande Área Metropolitana do Porto até à Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro. Toda a programação deste festival é, por isso, pensada para alcançar toda esta abrangência de território e seus públicos, tendo sempre em conta critérios rigorosos de sustentabilidade do projeto, bem como das necessidades relativas à oferta cultural e públicos
desses territórios, na democratização do livre acesso e fruição das atividades culturais.

Atendendo à realidade geográfica territorial em que o FIMUV está circunscrito, ao longo das suas edições, a programação artística tem vindo a ser definidano sentido de valorizar o potencial artístico e criativo dos agentes culturais locais, através do desenvolvimento de projetos de cooperação e parceria que cruzam a atividade destes agentes com outros, de âmbito nacional e até mesmo internacional.

Entram no rol de parceiros do FIMUV a nível local, nacional e internacional, entre outros, os seguintes agentes: a Academia de Música de Paços de Brandão, o Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas, o Museu do Papel, o Museu de Santa Maria de Lamas, a Universidade da Aveiro (Departamento de Comunicação e Artes – Licenciatura Música), Casa da Música – Porto, Festival de Música de Sintra, Festival de Música “Primavera Musical”– Castelo Branco, Concurso Internacional de Música “Terras de La Sallete”, Concurso Internacional de Música do Fundão – Folefest, Casa da Música de S. Petersburgo, Embaixada da Rússia.

A 41.ª edição do Festival Internacional de Música de Paços de Brandão, terá lugar de 15 de Abril a 20 de Maio de 2018, contando com um vasto conjunto de inciativas, envolvendo concertos, recitais, projetos educativos e outros, cujas propostas de elevada qualidade artística e cultural, na sua maioria gratuitas serão organizadas em diversos espaços da vila de Paços de Brandão, do concelho de Santa Maria da Feira e da área Metropolitana do Porto.

A programação da edição de 2018 do FIMUV contempla propostas diversificadas, que vão desde um concerto sinfónico, com a recém-criada Orquestra Filarmónica Portuguesa, dirigida pelo Maestro Osvaldo Ferreira e um exímio violinista Russo – Pavel Milyukov; ou um recital com a pianista germano-russa Kristina Miller; um concerto com projeção vídeo promovendo a música popular e tradicional portuguesa pelo projeto OMIRI, de Vasco Casais Ribeiro; a apresentação de dois concertos de âmbito educativo e pedagógico; um grande concerto coral e sinfónico na qual participação da Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira, dos cantores líricos Sofia Escobar e Sérgio Martins, bem como do Coro do CiRAC; e terminando com a Camerata da Royal Concertgebouw Orchestra no belíssimo Palácio do Freixo – Porto.

O CiRAC está ao seu dispor para esclarecer qualquer dúvida.