Skip links

António Saiote, Irene Lima e Vasco Dantas

🎶 Música de Câmara

📅 Sábado, 10 Outubro

⌚ 21h30

📍 Biblioteca Municipal Santa Maria da Feira

🎫 Gratuito

Reserve já!

Nascido em Loures, Portugal, António Saiote é um artista e pedagogo reconhecido mundialmente. Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian em Paris com Guy Deplus e Jacques Lancelot, e em Munique com Gerd Starke, onde obteve o Meisterdiplom da Hochschule de Munique com distinção. Fez um curso de Pós-Graduação de Música Contemporânea em Espanha com Artur Tamayo e Repertório Tradicional em Inglaterra com Georges Hurst. Obteve um Mestrado em Direcção de Orquestra pela Universidade de Sheffield. Tocou com a Orquestra Gulbenkian, Sinfónica Portuguesa, Orquestra Clássica do Porto, Régie Sinfónica, Rádio Lisboa e Porto, São Paulo, Shanghai, Filarmónica das Beiras, Orquestra do Norte, Orquestra Sinfónica do Algarve, e Sinfónica de Zurique. Solista convidado dos congressos mundiais em EUA, Bélgica, França, Suécia, Canadá, Japão, Espanha e Itália. Actuou nos Festivais de Sintra, Estoril, Nancy, Xangai, Macau, Rabat, São Paulo, Belo Horizonte, Caracas, São José, Santos, Lima, Yangi, Musicalta, Oviedo, Guimarães, Aveiro, Vila Real, Póvoa de Varzim, Paços de Brandão, Espinho, Algarve, Madeira, Açores, Folle Journée (CCB), Camerino, Atri e Porto Alegre. Desde 1998 desenvolve paralelamente uma profícua carreira de maestro tendo dirigido todas as orquestras portuguesas, e orquestras em Espanha, Venezuela, França e Alemanha. Dirigiu óperas tais como O Amor Industrioso, de Sousa Carvalho, Il Boticário, de Haydn, Amor de Perdição, de João Arroyo, Kleine Mahagony e Os Sete Pecados Mortais, de Kurt Weill, O Doido e a Morte, de Alexandre Delgado, Pierrot Lunaire, de Schoenberg, Cosi Fan Tutte, Don Giovanni e Flauta Mágica, de Mozart, e A Hora Espanhola, de Ravel. É maestro titular da Orquestra Sinfónica da ESMAE. Membro do Júri nos prestigiados concursos de Toulon, Constancia, Sevilha, Varsóvia, Caracas, Kortrik, Ghent, Brasília, e presidente do concurso Valentino Buchi em Roma. Nomeado numa votação à unanimidade Membro de Honra da Associação Internacional de Clarinete. Foi-lhe atribuído o título de Personalidade Latino-Americana do Clarinete pela Associação Clariperu. Distinguido com a Medalha de Honra do Concelho da cidade de Loures. Colabora regularmente como pedagogo, solista e maestro com o Sistema Venezuelano de Orquestras Infantis e Juvenis. Foi mentor e co-organizador do Congresso Mundial de Clarinete 2009 no Porto. Foi director artístico do Festival e Academia de Guimarães. É director artístico da orquestra sinfónica da ESMAE e do Meeting Internacional de Clarinete Marcos Romão, e membro fundador da Ópera Norte. Actuou ou ensinou em mais de trinta países da Ásia, Europa, América e África do Norte. Gravou vários CDs e mantém uma presença activa das suas performances no Youtube. Actualmente ensina na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE). Fala castelhano, italiano, francês, alemão, polaco, e inglês.

Irene Lima é atural de Lisboa, iniciou os estudos musicais com Adriana de Vecchi e Fernando Costa na Fundação Musical dos Amigos das Crianças. Estudou em Paris com André Navarra e Philippe Muller. Apresentou‐se a solo com orquestra e em formações de câmara em vários países, designadamente Espanha, França, Bélgica, Países Baixos, Luxemburgo, Itália, Brasil e Macau. É de referir a sua actuação com a Orquestra Sinfónica da RTL, com a qual executou o Concerto de Câmara com Violoncelo obligato, de Fernando Lopes‐Graça, que lhe valeu elogiosa crítica, assim como actuações a solo com a Orquestra Sinfónica de Macau e a Sinfonia de Varsóvia, entre outras. Forma um duo com o pianista João Paulo Santos. Gravou para a EMI‐Classics a Sonata para Violoncelo e Piano, de Luís de Freitas Branco, e um disco com obras de Vivaldi, Boccherini e Bréval. É actualmente Primeiro Violoncelo da Orquestra Sinfónica Portuguesa, lugar que ocupou igualmente na Orquestra do Teatro Real de Liège e na Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos. Lecciona Música de Câmara na Escola Superior de Música de Lisboa.

Apresenta-se regularmente em diversos festivais internacionais e temporadas de concertos, como o Festival Internacional EUROPAMÚSICA, em Itália, ou a Festa da Música, e com pianistas como Bruno Canino, Tânia Achot, Jorge Moyano, Roberto Arosio, Sónia Rubinsky. Filipe de Sousa e Alexandre Delgado dedicaram‐lhe obras para violoncelo solo.

Membro fundador do Quarteto Vianna da Motta, é, juntamente com Pedro Meireles, membro fundador dos Solistas de Lisboa.

Vasco Dantas, pianista português nascido em 1992 completou a Licenciatura em Música com “1ª classe & distinção” no London Royal College of Music, sob a orientação do professor russo Dmitri Alexeev e do professor sul-africano Niel Immelman. Terminou recentemente o Mestrado em Performance com nota máxima (1,0) sob a orientação do professor alemão Heribert Koch, na Universidade de Münster (Alemanha) onde foi aceite para uma pós-graduação “Konzertexamen”.

Vasco já obteve mais de 50 prémios e distinções em concursos internacionais.

Em 2015, estreou-se no continente asiático tocando a solo com a Hong Kong Symphonia no Hong Kong City Hall Concert Hal. Em 2014, estreou-se no continente americano tocando a solo com a Orquestra Sinfónica do Espírito Santo, em Vitória (Brasil).  Em 2013, estreou-se no continente europeu com a Orquestra Sinfónica do Porto. Em 2011, fez a sua estreia como pianista solista, na famosa “Sala Suggia” da Casa da Música, com o recital de abertura do Ciclo de Piano EDP 2011.

Tocou também a solo com imensas orquestras e já teve a oportunidade de trabalhar com maestros de renome, tais como, Misha Rachlevsky, Choi Sown Le, Dinis Sousa, Günter Neuhold, Martin André, Nicholas Kok, Nikolay Lalov, Pedro Neves, Peter Sauerwein, Rui Pinheiro e Victor Hugo Toro.

Começou a estudar piano aos 4 anos na escola Valentim de Carvalho no Porto (Portugal), e com 6 anos de idade deu a sua primeira apresentação pública, no Museu do Carro Eléctrico do Porto. No mesmo ano tocou pela primeira vez na RTP1 no programa “Praça da Alegria”.

No ano 2000, foi admitido com distinção no Conservatório de Música do Porto onde estudou com a professora sueca Rosgard Lingardson, terminando o curso com a nota máxima.

Paralelamente ao piano, aos 7 anos iniciou o estudo do violino, trabalhando com o Prof. José Paulo Jesus. Destacou-se nas orquestras “Momentum Perpetuum”, “Jovens dos Conservatórios Oficiais de Música”, Orquestra XXI e na Metropolitana de Lisboa Júnior, como concertino.

Actuou como pianista e violinista em centenas de eventos, em variadas salas de renome de 4 continentes, tais como: Tsarytsino Museum e Tchaikovsky Great Hall (Moscovo), Institut of Contemporary Arts e Steinway Piano Gallery (Singapura), London Steinway Hall, Whiteley Hall, Amaryllis Fleming Concert Hall, Regent’s Hall e Pallant House Gallery (RU); Hong Kong City Hall (China), Teatro Carlos Gomes e Teatro Municipal de Barueri (Brasil), Schumann Haus Bonn, Eurogress Aachen, Düren Schloss Burgau (Alemanha), Stockholm Royal Palace (Suécia), Teatro de San Agustin e Auditório Caixa Nova de Vigo (Espanha), Casa da Música, CCB, Europarque, Palácio da Pena, Palácio Nacional de Queluz, Fundação Calouste Gulbenkian, Grémio Literário de Lisboa, Ateneu Comercial do Porto, Teatro Helena Sá e Costa, Mosteiro de Alcobaça, Museu Romântico do Porto e Salão Árabe do Palácio da Bolsa (Portugal).